Conheça a Linha Profunda Anterior e saiba como ela afeta o seu treinamento

Conheça a Linha Profunda Anterior e saiba como ela afeta o seu treinamento

Conheça a Linha Profunda Anterior e saiba como ela afeta o seu treinamento

Você já leu aqui na Fitness Magazine Brasil sobre o que são as fáscias musculares e rotas miofasciais. Também já viu que estas estruturas influenciam muito no resultado do seu treinamento.

Desta vez, vamos falar sobre a Linha Profunda Anterior (LPA), que é uma das rotas miofasciais. Acompanhe!

A LPA é uma rota miofáscial profunda, que sai da sola do pé, vai subindo por trás da tíbia e do joelho para a face interna da coxa, passando à frente da articulação do quadril, por dentro da pelve e coluna vertebral, músculos da mandíbula e chega até o crânio.

Como a LPA afeta o corpo?

Sempre que alguma rota miofascial trabalha fora de sua sinergia ideal, ocorrem desequilíbrios musculares.

No caso da LPA as falhas não são tão óbvias e os efeitos negativos são transferidos para outras rotas, podendo levar alguns anos para se manifestarem.

Isto ocorre porque a LPA não possui responsabilidade direta por movimentos, exceto adução do quadril e flexão profunda do pescoço.

Indiretamente, ela age sobre o arco interno do pé, estabiliza os segmentos dos membros inferiores, dá suporte anterior à coluna lombar e auxilia no movimento torácico de expansão e relaxamento, fundamental para a respiração.

O que pode acontecer se a LPA fica encurtada?

Quando a LPA fica encurtada, pode bloquear a extensão completa do quadril provocando encurtamentos gerais, levando a pelve e a coluna em colapso, provocando ajustes compensatórios negativos nas demais rotas miofasciais.

É neste ponto que entra o conceito de GLOBAL-LOCAL-GLOBAL! Que é trabalhar o corpo de uma forma única como se fosse um bloco, e não apenas o local, verificar o efeito deste trabalho, fazer o ajuste local e reavaliar o seu impacto sobre o conjunto!

Tudo isto dentro do conceito de tensegridade, que é a relação existente entre músculos que geram uma tensão contínua sobre ossos que estão sujeito a compressões intermitentes.

Caso a tensegridade falhe, haverá sobrecarga sobre articulações, fáscias e ligamentos, em decorrência do desequilíbrio entre músculos e ossos.

Qual o efeito disto sobre o seu treinamento?

Cuidado ao seguir o quadro de alongamentos de sua academia, alongando em todas as posições que estão lá descritas! Às vezes o músculo que você está alongando pode estar precisando mais de fortalecimento do que de alongamento.

Este mesmo cuidado é válido para as práticas de liberação miofascial! Ela é muito importante para a liberação de fáscias e rotas que se encontram encurtadas, mas pode implicar em perda de tempo ou mesmo em lesão caso você esteja trabalhando sobre fáscias que já se encontram soltas.

Como saber os músculos que precisam ser alongados ou fortalecidos? E se há partes da sua LPA estão precisando ou não serem liberadas?

Passando pelos processos de avaliação, prescrição e acompanhamento do seu treinamento! Procure um profissional qualificado para não pagar o preço lá na frente.

Colaboraram com este artigo o Prof Bruno Corá

Deixe seu Comentário!

UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL!

Assine nossa newsletter e receba nossos artigos gratuitamente

GARANTIA: Seus dados estão seguros! Nunca enviaremos spam nem compartilharemos seus dados.