Dores nos ossos e articulações? Este artigo foi feito para você!

Dores nos ossos e articulações? Este artigo foi feito para você!

Atualizado em 17/janeiro, 2017

Dores nos ossos e articulações? Este artigo foi feito para você!

Entenda a Ostoartrose e outras doenças dos ossos e articulações

As doenças de origem degenerativa e reumática são as que mais comumente afetam o sistema locomotor, em especial da população idosa. A Fitness Magazine preparou uma série de artigos, onde você aprenderá o que é, como prevenir e tratar estas doenças:

Osteoartrose (OA), uma condição crônica responsável por 65% da incapacidade presente na população idosa brasileira;

Gota, uma síndrome provocada pela cristalização de ácido úrico nas articulações;

Artrite reumatoide, doença inflamatória de origem reumática que acomete cerca de 1% da população adulta, principalmente entre 35 e 65 anos;

Osteopenia e Osteoporose, que são a diminuição da matriz óssea com o aumento da possibilidade de fraturas;

Fibromialgia, que é uma dor crônica não inflamatória de grande incidência na população entre 30 e 60 anos.

Acompanhe nossa série de reportagens, fique por dentro e esteja ciente de como prevenir estas doenças degenerativas e, na impossibilidade de cura, como ter uma boa qualidade de vida independente da presença delas.

Saiba tudo sobre a Ostoartrose

Dores nos ossos e articulações Este artigo foi feito para você 2

Dando início à série de artigos sobre doenças degenerativas de ossos e articulações, iniciaremos com a Osteoartrose (OA), uma vez que esta é a condição clínica responsável pela maior parte das incapacidades presentes na população idosa brasileira.

A OA pode não ter uma causa aparente (primária) ou ser decorrente de lesões, cirurgias ou anomalias congênitas (secundária). Independente da razão, o resultado comum é a degeneração progressiva da cartilagem articular sem processo inflamatório associado.

Esta degeneração leva a perda da superfície articular, diminuindo o espaço entre os ossos da articulação e ao surgimento de proeminências ósseas nas bordas articulares (osteófitos). Estes osteófitos, dependendo da região em que surgem, podem ser popularmente conhecidos como esporão de calcâneo ou bico de papagaio (quando está na coluna vertebral).

As articulações mais acometidas são a temporomandibular (ATM), a coluna, o quadril, o joelho, o punho e os dedos das mãos. As mulheres sofrem mais com a OA nas mãos, pés, joelhos e pescoço. Os homens, por sua vez a apresentam mais no quadril e na coluna lombar.

Os principais sintomas são: dores profundas que pioram com o movimento, rigidez matinal, crepitação e limitação de movimentos. No caso da coluna vertebral, os osteófitos podem causar compressão nos nervos, levando a dor irradiada.

Mas, se a OA é uma condição crônica e degenerativa, sem possibilidade de cura, o que fazer para conviver bem com este problema? Para responder a esta pergunta, a Fitness Magazine recorreu a especialistas e a literatura científica mais recente para trazer para você as principais formas de prevenção e tratamento.

Prevenção e tratamento da Ostoartrose

A prevenção da OA primária envolve a boa saúde articular e muscular. Desta forma, a prática de atividade física regular, alternando exercícios aeróbicos, de fortalecimento muscular e de alongamentos e o controle do índice de massa corporal (IMC) em valor menor que 25 são as condições necessárias para isto. Atividades de relaxamento como a Yoga e o Tai Chi Chuan também apresentam resultados positivos para a saúde articular!

Para prevenir a OA secundária, adaptações podem ser necessárias para a prática esportiva de maneira segura. Assim, o uso de palmilhas biomecânicas pode ajudar na prevenção de OA secundária a alterações congênitas, como pé plano ou cavo, joelho excessivamente varo ou valgo, quadril com rotação ou discrepância de comprimento de membros inferiores.

O tratamento clínico da OA não difere dos meios de prevenção! No entanto, a intensidade das atividades precisa ser compatível com o quadro de dor causado pela degeneração articular. Adicionalmente, recursos de Fisioterapia para controle da dor, como o TENS, a compressa quente e o gelo podem ser necessários. Geralmente o quente tende a ser mais bem tolerado que o gelo para os casos de OA. Em casos extremos, a cirurgia é indicada, podendo variar de limpeza intra-articular à protetização da articulação acometida.

Siga nossas dicas para manter a saúde e prevenir as doenças dos ossos e articulações. Caso perceba alguma alteração importante no alinhamento de suas articulações procure seu Ortopedista ou Fisioterapeuta de referência.

O cuidado com a saúde deve ser integral!

Deixe seu Comentário!