Ergonomia ao volante: Como dirigir corretamente

Ergonomia ao volante: Como dirigir corretamente

Atualizado em 21/fevereiro, 2016

Ergonomia ao volante: Como dirigir corretamente. O ser humano adota, em diversos momentos de sua vida, a postura assentada. Tal postura, embora seja considerada por muitos como confortável, modifica (negativamente) parâmetros de esforço sobre a coluna vertebral, em especial a lombar, pelve e membros inferiores.

E se esta postura estiver associada a elementos externos que causem um aumento da atividade cognitiva e psicológica de uma pessoa, sua ação sobre a estrutura física do corpo pode ser ainda mais prejudicial. Um exemplo em que aspectos cognitivos e a postura assentada estão intimamente relacionados é durante o ato de se dirigir um veículo!

Nesta situação, além do estresse inerente ao ato de direção, fatores como ruídos externos, excesso de informações visuais de diferentes fontes, e a vibração decorrente do contato do veículo com o solo, aumentam a ativação muscular, o que a torna potencialmente mais lesiva.

Ergonomia ao volante: Postura correta para dirigir

Ergonomia ao volante do motorista. Postura correta para dirigir

A inclusão de elementos da ergonomia no momento de se definir a postura correta para dirigir é fundamental. Primeiramente, é importante desmitificar uma das realidades da postura das pessoas que dirigem com estresse excessivo (muito próximo ao volante) pois, a postura correta é aquela que dá a maior possibilidade de condutas motoras evitando aquelas potencialmente lesivas. Assim, nada de ficar muito perto do volante, posição que diminui a possibilidade motora, com consequente aumento do cansaço físico e maior probabilidade de erro. Além disso, esta posição diminui o campo visual, o que implica em maior necessidade de movimentos oculares com aumento significativo na carga de trabalho imposta pelo ato de dirigir.

Mais Artigos sobre: Cuidados e Saúde!

Logo, a postura correta para dirigir deve permitir a movimentação do motorista de forma a acessar os instrumentos necessários a direção sem que ocorram movimentos extremos, tanto de membros superiores quanto de membros inferiores. Da mesma forma, é importante que se evite a flexão excessiva dos joelhos (fato comum quando se aproxima muito o banco do volante) uma vez que esta posição diminui a quantidade de sangue circulante nas pernas, favorecendo isquemias (suspensão da circulação local do sangue) e o surgimento de veias varizes.

Outro quesito importante é que o motorista adapte o encosto do banco de forma que mantenha a curvatura normal de sua lordose lombar (curvatura da coluna vertebral). Isto nem sempre é possível, uma vez que depende muito da forma como o assento foi projetado. Assim, recomenda-se a utilização de um rolo posicionado na altura da cintura quando o assento não permitir tal posicionamento. Além disso, recomenda-se que o motorista assente sobre a tuberosidade isquiática (os ossos que se encontram na parte inferior das nádegas), pois assim favorece-se um melhor posicionamento relativo da pelve em relação à coluna lombar.

Lembre-se sempre: As boas práticas de segurança recomendam não dirigir sozinho e fazer pausas a cada duas horas ou 200 km percorridos.

Deixe seu Comentário!