Hipertensão Arterial Sistêmica

Hipertensão Arterial Sistêmica

Atualizado em 30/agosto, 2016

Sintomas da Hipertensão Arterial Sistêmica

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) caracteriza-se pelo aumento crônico da pressão exercida pelo sangue sobre as artérias. O valor ideal da pressão arterial (PA) em repouso é de 120 + 20 mmHg para a sistólica (no momento em que o coração contrai) e de 80 + 10 mmHg para a diastólica (no momento em que o coração relaxa), desta forma, valores acima de 140/90 são considerados como elevados, independente do indivíduo apresentar ou não sintomas associados, tais como palpitações, dor de cabeça e falta de ar.

Causas da Hipertensão Arterial Sistêmica

A tendência a sofrer de Hipertensão Arterial Sistêmica depende de diversos fatores, uma vez que, na maioria das vezes, ela não possui uma causa evidente (HAS essencial). Ela pode surgir em qualquer idade, mas é mais comum após os 40 anos.

A hereditariedade também é um fator importante, de forma que pessoas que apresentam pais com Hipertensão Arterial Sistêmica têm maior tendência em tê-la.


Mais artigos sobre Cuidados e Saúde


Tratamento e prevenção da Hipertensão Arterial Sistêmica

Como as causas, muitas vezes, não são conhecidas, o tratamento normalmente não envolve a cura, apenas o controle dos valores de Pressão Arterial dentro da faixa ideal.

Este controle pode ser conseguido através do cuidado com os fatores causadores (sal, bicarbonato de sódio, antiácidos, estresse emocional, sedentarismo, obesidade, fumo e excesso de álcool) mas, na grande maioria dos casos, há necessidade de medicamentos.

O controle medicamentoso envolve a disciplina do indivíduo, uma vez que os remédios possuem um tempo de ação determinado (normalmente 24 horas), daí a importância de que a prescrição médica seja seguida rigorosamente, bem como a frequência de visitas ao médico.

Consequências da Hipertensão Arterial Sistêmica

As consequências da HAS não tratada também variam muito. Mais comumente, ela é causada pelo aumento da pressão das artérias periféricas (pele e músculos) sobre o sangue circulante, o que causa a necessidade de um maior trabalho por parte do coração.

A longo prazo, problemas cardíacos podem surgir, devido ao aumento crônico do trabalho do coração, tais como hipertrofia ventricular esquerda (engrossamento da parede do lado esquerdo do coração), dilatação cardíaca com consequente insuficiência de sua estrutura muscular, infarto do miocárdio.

Fora do coração, as consequências da Hipertensão Arterial Sistêmica envolvem o acidente vascular cerebral (AVC), trombose, insuficiência renal, aneurisma, perda de visão e insuficiência vascular periférica.

Assim, a dica da Fitness Magazine Brasil envolve a visita rotineira ao médico para controle da Pressão Arterial e, uma vez constatada a existência da HAS, que sejam controlados os fatores causadores e que a prescrição médica seja seguida de maneira rigorosa, de forma que as consequências da falta de controle da HAS não se manifestem.

Reportagem feita com a colaboração especial do Médico Cardiologista Carlos Eduardo B. Andrade.

Deixe seu Comentário!

UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL!

Assine nossa newsletter e receba nossos artigos gratuitamente

GARANTIA: Seus dados estão seguros! Nunca enviaremos spam nem compartilharemos seus dados.

Você quer uma vida mais saudável?

NÓS TE AJUDAMOS!

EU QUERO!

Eu não quero...

Receba nossos artigos e dicas de saúde grátis!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER 

AGRADECEMOS POR ASSINAR!

JUNTOS POR UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL!