Suplementação de Minerais

Suplementação de Minerais

Suplementação de Minerais

Se você tem acompanhado nossos artigos, já se informou sobre qualidade de suplementos e necessidade de indicações e contraindicações de suplementação de vitaminas.

Desta vez vamos falar sobre a suplementação de minerais que, tal qual ocorre com as vitaminas, também não são consumidos para a produção de energia, de forma que não há necessidade de grandes quantidades para que tenhamos uma vida saudável!

Quando é necessária a suplementação de minerais?

E quando ela é maléfica?

Na sequência você verá o que precisa saber sobre os principais minerais do corpo humano.

Cálcio

Este é o sal mineral mais presente no corpo humano, aporte inferior a 800 mg/dia causa os mesmos efeitos da falta de Vitamina D ou seja raquitismo em crianças e osteoporose em adultos.

No entanto seu excesso pode levar a calcificações indesejadas, como as pedras nos rins e irritações gastrointestinais. Está presente em carnes, ovos, leite e derivados e em folhas verdes.

Ferro

É o mineral responsável pelo transporte de oxigênio pelo sangue, de forma que a sua carência está relacionada à anemia ferropriva.

Seu excesso está relacionado a dores abdominais, cansaço, impotência e alterações do ritmo do coração. Está presente em carnes, vagens, feijões, brócolis e folhas verdes.

Sódio

Este é bem complicado, pois está diretamente relacionado à Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS). No entanto, o consumo de repositores hidroeletrolíticos (isotônicos) é recomendado em atividades extenuantes de longa duração (mais de duas horas), desde que o atleta não possua histórico de HAS.

Isto ocorre porque o suor elimina estes eletrólitos e a ingestão de apenas água não os repõe. Desta forma, sua reposição seja em forma de sal de cozinha, isotônicos ou bicarbonato de sódio só se justifica após atividade extenuantes de longa duração.

Potássio

Este você já deve ter ouvido falar que se relaciona com as cãibras e que a banana é rica nele! O seu excesso causa descompensação da frequência cardíaca, podendo levar à sua parada.

Cromo e Magnésio

As evidências de seus efeitos sobre a osteoporose não justificam a sua suplementação. Há relato de efeitos positivos para o metabolismo de glicose em diabéticos, mas em estudos que avaliaram dietas ricas nestes minerais, e não através de suplementação.

O cromo é bastante tóxico ao organismo humano, podendo causar de intoxicação a danos no fígado e rins, além de estar associado a alguns tipos de câncer.

O magnésio por sua vez é fundamental para o metabolismo aeróbico, sua falta pode causar cansaço, sonolência, osteoporose e prejudicar as funções metabólicas que dependem de energia. O seu excesso é muito raro, dado à sua eliminação pelo corpo, mas pode prejudicar a função renal. As principais fontes de cromo e magnésio são os cereais integrais, amêndoas, castanhas e soja.

Selênio e Zinco

São considerados como inibidores da hiperplasia prostática em homens com mais de 40 anos, mas isto ainda não foi confirmado pela ciência.

O selênio é um antioxidante que ajuda na contração muscular. Assim, sua falta está relacionada a dores musculares e insuficiência do pâncreas e seu eu excesso a cansaço muscular, dermatites e queda de pelos.

O zinco apresenta resultados positivos para a prevenção de resfriados em crianças e por ajudar no sistema imunológico. O excesso deste sal prejudica a ação do sistema imunológico e de alguns medicamentos. As fontes de selênio e zinco são castanhas e grãos, fígado, peixes e frutos do mar.

Fósforo

Este sal é importante para o armazenamento de energia pelas células, para a formação de matriz óssea e dos dentes, para a formação do código genético (DNA e RNA) e de membranas celulares.

Sua falta está relacionada a doenças musculares, perda de memória e defeito na consolidação de fraturas ósseas. Seu excesso está relacionado à confusão mental e hipertensão. Suas principais fontes são leites e derivados, carnes, ovos, cogumelos, castanhas e amêndoas.

Iodo

Este mineral é importante para a saúde reprodutiva e principalmente para a produção de hormônios da tireoide, fundamentais para a regulação do metabolismo do corpo humano.

Assim sua falta está relacionada ao bócio, que é o crescimento anormal da tireoide , hipotireoidismo, queda do metabolismo e da imunidade, desequilíbrio e retardo mental.

O seu excesso também altera a função da tireoide, por levar a produção de hormônios defeituosos, o que leva o corpo a agir similarmente ao hipotireoidismo, além de causar inflamação desta glândula. Sua principal fonte é o sal iodado mas também é encontrado em carnes, frutos do mar, ovos, leite e derivados.

Cobre

Não há evidência científica sobre o efeito da suplementação de cobre sobre a saúde dos ossos e articulações.

Agora que você está informado sobre quais são os sintomas da falta e do excesso de Minerais, fique atento à sua saúde e em caso de dúvidas procure o seu Médico ou Nutricionista!

Deixe seu Comentário!

UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL!

Assine nossa newsletter e receba nossos artigos gratuitamente

GARANTIA: Seus dados estão seguros! Nunca enviaremos spam nem compartilharemos seus dados.

Você quer uma vida mais saudável?

NÓS TE AJUDAMOS!

EU QUERO!

Eu não quero...

Receba nossos artigos e dicas de saúde grátis!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER 

AGRADECEMOS POR ASSINAR!

JUNTOS POR UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL!