O que você não sabia sobre a dor na coluna e pescoço!

O que você não sabia sobre a dor na coluna e pescoço!

Você já ouvou falar que 6 a cada 10 pessoas têm, tiveram ou vão ter dor na coluna lombar? Você já sentiu ou conhece alguém que sente dor no pescoço?  Será que a realidade é esta mesma? Será que tanta gente terá esta dor que, pode vir a ser incapacitante? Acompanhe neste artigo da Fitness Magazine Brasil.

Qual é a frequência da dor na coluna e no pescoço?

O número de casos existentes numa determinada população dentro de um espaço de tempo, não é um dado muito preciso. Isto ocorre porque os mecanismos associados a dor são muitos complexos. Esta complexidade dificulta a comparação da lombalgia entre pessoas e entre episódios em uma mesma pessoa.

Você pode achar dados de números de casos de cerca de 4% para lombalgia com mais de 7 semanas de duração, cerca de 20% para lombalgia ao longo de um ano. O relato de dor em algum momento da vida chega a 9 a cada 10 pessoas.

A dor no pescoço, ou cervicalgia, ocorre com menos frequência e, na maioria das vezes, está associada a condições de trabalho, prática esportiva e postura adotada ao ver televisão, ler, mexer em computador e telefone, deitar e assentar.

Mas, mesmo com essa grande probabilidade de você vir a ter dor na coluna, caso já não a tenha, é importante salientar que se trata de uma dor como qualquer outra, com possibilidade remota de gravidade e bom prognóstico de melhora.

O que fazer para não ter ou não piorar?

É importante que você mantenha uma atividade física regular e que ela seja adaptada à realidade de seu quadro doloroso, logo, é importante que você tenha um bom contato com o seu treinador.

Procure adequar o seu trabalho de forma a evitar a sobrecarga da coluna sem que seja necessário se afastar, utilize um colchão de rigidez média, não fume, não exagere no consumo de álcool e, o principal, não tenha medo de se movimentar!

Tenha a certeza de que você é o responsável pela sua saúde! Afinal de nada adianta a orientação do seu treinador, fisioterapeuta ou médico se você não a seguir!

Deixe seu Comentário!